Quem fundou Natal?

É justo dizer que uma pessoa fundou Natal? Uma e apenas uma é responsável por tudo que aconteceu por aqui? Dar ênfase a um agente ou personalidade histórica é algo superado pela História como ciência, mas sim, na escola, você estava acostumado a ser perguntado “quem descobriu o Brasil?”, mas isso só denuncia idade. Apostar em apenas uma personalidade não define ou explica o passado, mas é interessante saber um pouquinho mais sobre esse assunto.

Não existe um documento histórico dizendo quem foi o responsável pela fundação da cidade de Natal. Isto porque quando os holandeses deixaram a capital potiguar, em 1654, trinta anos depois de invadirem as terras brasileiras, eles queimaram documentos ao atear fogo ao ao Armazém Real, com o objetivo de impedir que os colonos se apossassem das armas guardadas lá. O que temos, portanto, são diversas teorias que tentam explicar quem fundou Natal.

Historiadores mais tradicionais como Câmara Cascudo, Vicente Lemos, Rocha Pombo e Tavares de Lira afirmam que o fundador de Natal foi Jerônimo de Albuquerque, um administrador português que aqui chegou pela Capitania de Pernambuco.

“A 25 de dezembro do mesmo ano (1599), Jerônimo de Albuquerque, saindo da fortaleza, na distância de meia légua, num terreno elevado e firme, que já se denominava Povoação dos Reis, demarcou o sítio da cidade que recebeu o nome de Natal, em honra desse glorioso dia, que assinala no mundo da cristandade o nascimento do divino redentor” (Vicente de Lemos)


Castelo Branco afirmou que o fundador de Natal seria João Rodrigues Colaço, pois este na data da fundação da cidade, 25 de dezembro de 1599, era o capitão-mor da Fortaleza dos Reis Magos. Para isso ele tomou como base os documentos da história da Companhia de Jesus no Brasil, do padre Serafim Leite. Segundo ele, Jerônimo de Albuquerque nem estaria em Natal à época da fundação para poder realizá-la, cabendo então a Colaço.

Seguido-se o princípio da autoridade temos a opinião de Luís Fernando Sobrinho. Para ele o fundador é Mascarenhas Homem, já que é sob as ordens dele que Colaço atua na Fortaleza.

Mas é importante saber quem foi? Muda o fato de que a cidade está aí de pé? Na verdade não muda em nada todo o processo histórico né? Mas é legal saber que toda essa dúvida ainda existe e será que um dia ela poderá ser resolvida?